Fuga

Cabo Verde, o arquipélago magnético

passeio cosmopolita no Mindelo, caminhadas nas montanhas de Santo Antão, estadia oceânica em Sal ... miscigenação Crucible, o "pequeno país", cantada pela diva Cesária Évora encanta com seus gracioso pessoas e seus contrastes poderosos.

Mindelo. Em Mindelo, a praia com barcos voltados para as mansões coloniais portuguesas.

Praia de Santa Maria. Sal e sua praia de Santa Maria recebem viajantes em busca de ociosidade.

Rua de Lisboa. Uma certa arte de viver no café Lisboa da rua do mesmo nome.

Morabeza. A benevolência do povo cabo-verdiano resumiu-se numa palavra: Morabeza.

Santo Antão. Santo Antão, um paraíso para caminhadas nas montanhas de tirar o fôlego.

Mindelo. O centro histórico de Mindelo convida-o a passear pelas suas casas coloridas.

Santo Antão. Culturas com terraços estriados, as alturas de Santo Antão respiram
serenidade.

Ponta do Sol Voltar a pesca na Ponta do Sol, um pequeno movimentado porto a nordeste de Santo Antão.

Santo Antão. Por volta de Santo Antão, uma costeiras estrada serpenteia entre penhascos íngremes e oceano turbulento.

Santa Maria. Depois da praia de Santa Maria, o restaurante do Hotel Odjo d'Agua, os pés na água.

Salines de Pedra de Lume. Na ilha de Sal, as minas de sal de Pedra de Lume ocupar a cratera de um antigo vulcão.

Artesanato. A cooperativa de mulheres Incubadora vende 100% de artesanato local.

Casa Funana: cabaret-restaurant. Ultra amigável taverna-restaurante, Casa Funana ferve a cada semana.

São Vicente é a nossa porta de entrada para Cabo Verde, este arquipélago vulcânico isolado ao largo do Senegal. Depois de Santiago, é a mais populosa das dez ilhas. Nas imediações do aeroporto, as paisagens lunares revelam um solo extremamente seco. Em um mar cintilante, as ondas rolam no casco de um navio de carga, encalhados em um estaleiro. Mindelo traz um sopro de vida reconfortante. parada obrigatória durante a segunda metade do século XIX, os navios de todo o mundo que veio para obter suprimentos de carvão, esta cidade cosmopolita rapidamente perdeu seu papel estratégico. Não é o seu poder de sedução.

Mindelo e a sua baía mágica

Com a sua curva perfeita, a Baía do Mindelo é uma das mais bonitas do mundo. O oceano turquesa age como um ímã. Uma longa caminhada invadida por corredores se estende da praia da Laginha ao centro histórico. Em frente às antigas casas degradadas, a área comercial de Pont d'Agua, asséptica, denota. À sombra de uma réplica da torre de Belém, pescadores bêbados jogam cartas e aguardam. Um pouco mais longe no mercado de peixe, os gatos têm os sentidos em tumulto. No setor colonial bem preservado, a população é jovem e mista. Ao longo das ruas de paralelepípedos, atordoado pelo calor, ripolinées fachadas de Inglês e mansões portuguesas explosão de amarelo, terracota ou pistache. Perto da igreja Nossa Senhora da Luz, uma loja opulenta chama a atenção: Capvertdesign.

Algo de Cuba

Definir dez anos no Mindelo, os franceses Françoise Ascher recolhe todas as habilidades artesanais do país. Cestaria, bordados, tecelagens, pinturas, objetos reciclados ... Cada peça recuperada nas ilhas é encenado em seu showroom inteligentemente pensado. Perto daqui, na Praça da Estrela, mulheres envoltas em tanga africana vendem inhame e banana-da-terra. Os grandpas com boné e algumas antigas limusines americanas com um corpo elegante evocam Cuba. Foi a Rua Lisboa, a rua principal forrado com imponentes mansões com nomes sugestivos da pátria, para o Palácio do Governador, residência delicados rosa colunas neo-clássico. O calor caiu, o Mindelenses encontram-se a Plaça Nova. O ritual é que nos voltamos em torno desta praça cercada por casas baixas em tons pastéis. Os jovens flertam nos bancos, à sombra das amendoeiras. Uma multidão é formada em torno de uma demonstração de capoeira. O momento é propício para reuniões com pessoas em contato natural. Esta benevolência, cabo-verdianos definem-na com uma palavra crioula: Morabeza.

Uma cidade com um clima festivo

Do lado do mar, um sol de fogo cria veleiros e fachadas roídas pelo jato. Concertos de café soam as primeiras notas de morna, a versão cabo-verdiana do fado. Como na Casa de Morna, acolhedor bar-clube realizado pelo cantor Tito Paris. É nestes cafés-concertos do Mindelo que Cesária Évora começou. Antigamente, marinheiros de todas as nacionalidades se reuniam em torno de uma boa garrafa de grogue, o rum local. Turistas, artistas e classe abastada viraram-se para lá, carregados pela força emocional de Sodadeessa impressão melancólica de nostalgia, que vive mais do que pode ser explicada. Durante o Carnaval de Fevereiro, Mindelo tem um clima muito mais festivo. A capital cultural do arquipélago se torna até um pequeno Brasil.Ao longo dos anos, esse evento popular está ganhando força. "As pessoas não ganham muito dinheiro, mas durante o carnaval elas ficam maravilhadas e a cidade brilha", diz Ana Da Cruz. Costureira há três gerações, essa apaixonada mulher dedicou trinta anos de sua vida a fazer figurinos de lantejoulas para dançarinos de samba.

Os panoramas inesquecíveis de São Vicente

Se a vida cultural está concentrada no Mindelo, São Vicente merece ser explorada pela sua natureza crua. De madrugada, os pescadores descarregam as capturas de sargo em Santa Luzia e colocam as suas redes na bela praia de São Pedro. Nas alturas de Monteverde, no meio de charnecas chicoteadas pelo vento, o cume da ilha revela um panorama majestoso na baía do Mindelo. Na costa norte, as mulheres cruzam suas aldeias para casas cubistas, uma lata em suas cabeças. A falta de água está gritando. Mais adiante, a Baía das Gatas exibe a sua piscina natural azul indecente, voltada para as segundas residências caboverdianas. Em agosto, o site hospeda um festival de música ultra popular. A estrada costeira serpenteia entre o oceano revolto e as falésias marrons, até as dunas da Praia Grande e os vulcões gêmeos do Calhau, dois locais indomáveis ​​de beleza crua.

Santo Antão, o mais indomável

No dia seguinte ao amanhecer, siga para Santo Antão. Ignorada pelo turismo de massa, essa ilha vizinha é considerada um autêntico e tropical Éden. A balsa Mar D'Canal faz a travessia em tempo recorde. No cais do Porto Novo, todo mundo se junta ao seu aluguer, microônibus coletivos e barato. Apenas uma estrada atravessa a ilha de sul a norte. Tortuosa, jogada como uma corda no maciço que separa a ilha em duas vertentes, a Estrada Corda sobe a 1000 metros de altitude, no meio dos pinheiros e dos eucaliptos. Abismos inquietantes até a forma do mar ribeirasvales férteis alinhados com paredes íngremes. Destino final: Ponta do sol. Mansões coloniais alternadas - o sobrados - e casas ao quadrado, este pequeno e animado porto evoca o fim do mundo. A vida é doce, pontuada pelo retorno da pesca, telenovelas Jogos de futebol brasileiros e dominicais.
Nesta ilha vertical raiada de trilhas, as mais belas peles nas alturas. Santo Antão revela caminhantes de tirar o fôlego da natureza. Você pode acessar alguns de seus sites sem forçar, acompanhado por um guia local. O caminho costeiro que corre ao longo do penhasco acima da Ponta do Sol é ideal para entrar em forma. Depois de uma hora de caminhada, com vista para o oceano, surge a aldeia isolada de Fontainhas. Uma visão impressionante de pequenas casas coloridas, colocadas em equilíbrio, como Lego, na encosta vertiginosa de uma montanha.

Vales férteis e montanhas nuas

Direção Coculi, onde fica uma das igrejas mais antigas da África Ocidental. Neste vale fértil, paredes de pedra delineiam os campos de feijoa. Sem esse feijão branco, não cachupa, o prato nacional: um ensopado de milho, feijão, feijão, batata doce, mandioca, ao qual se adiciona porco ou frango. Isolados no final das trilhas de mula, aldeias definidas como ninhos de águia revelam as últimas casas tradicionais de colmo. A alma pura de Santo Antão paira sobre estas alturas. No dia seguinte, mudança de cenário. um aluguer Solte os caminhantes na Estrada Corda, na Cova. Este antigo vulcão é invadido por flores e cabras. Em seu cume, uma parede íngreme mergulha no vale de Paulo. Um pequeno caminho sinuoso desce até este enclave maravilhoso cercado por montanhas nuas. A água flui por todos os lados. Em San Manuel dos Santos, um austríaco ecológico, Alfred, hospeda o orgânico O'Curral table d'hôte e encanta os hóspedes de um saudável cachupa seguido de um café grogue, o rum local. Além disso, as montanhas se abrem em um mar agitado.

Na esteira do grogue ...

No dia seguinte, partimos para um novo passeio com Armando, guia francês com olhos verdes esmeralda. Ele é seguido na ribeira de Janeila, seu vale nativo coberto de cana-de-açúcar, banana e mangueiras para visitar uma destilaria, localizada no interior. Um cheiro pungente e doce sobe no nariz. O processo de fabricação do grogue não mudou em cento e cinquenta anos. Esmagado por uma máquina motorizada - o trapiche - A cana é colocada no alambique e depois colocada em uma cavidade de terracota e inflamada com palha. No final da corrente flui a aguardente, que é bebida ou misturada com melaço, mel de cana.

Aprecie a doçura do oceano

Após esta quebra vertical, Sal é oportuna. Nesta ilha ventosa, árida e plana, mas cheia de areia fina, o turismo explodiu e 60% da população local de todo o arquipélago para trabalhar.Os visitantes são seduzidos pelas fórmulas tudo incluído resorts focados na costa sul e snowboarders vivem sua paixão esportiva nas longas praias expostas ao vento.

Em um fundo de trance Africano

Em Santa Maria flutua uma atmosfera de férias permanentes com, por filosofia principal, " Sem estresse. "De manhã, o pontão avançada na água diáfano ocupa a atenção. Os barcos descarregar o seu peixe neon, sem concha imediatamente por mammas buxom. O seu trabalho concluído, eles começam a dançar, cantar alto e batendo ritmo em sacos de plástico cheios de areia.Este transe africano, o batuqueé um ressurgimento da música dos escravos. Mais adiante, notas de cavaquinho, uma pequena guitarra de quatro cordas, escapam da Casa Funana. O cantor Milu anima este templo da música cabo-verdiana. Para o buffet de domingo, os turistas se misturam com famílias mistas. No palco, as bandas fornecem a atmosfera. Alguns na platéia tomar o microfone e empurre a cantiga, as crianças mexer em balançando ritmos, um país inteiro expressa sua alegria de viver, libertadora e comunicativa.
No final do dia, Santa Maria sai do seu torpor tropical. De volta da praia, um jovem relaxado invade as ruas de paralelepípedos acariciadas por uma leve brisa. Esta é a hora de passear entre casas antigas com charme decadente. Encante-se nos quintais, onde milhares de cenas da vida se desenrolam. Para trocar em francês com os vendedores de artesãos senegaleses, campeões em qualquer categoria do chat. À noite, Santa Maria vive com o jantar romântico no terraço e concertos em cafés, onde uma balança alegremente.

Sal, um capital de bolso

Se o turismo é agora florescente, Sal foi abandonado há muito tempo até a chegada de Manuel Antonio Martino, comerciante Português que, no início do século XIX, passou a explorar o único recurso ilha: sal. Um século depois, uma empresa francesa assumiu. O produto, no entanto, perdeu seu valor econômico. A visita das salinas é de natureza histórica. Património Natural declarou, Pedra de Lume especialmente oferece a vista incrível da cratera de um antigo vulcão coberto com cristais imaculadas. Espetacular, o site conhece uma segunda vida. Os italianos transformaram-no num centro de talassoterapia ao ar livre. No programa: nadar em água com enxofre, descascar e massagens salgadas. Em Espargos, jovens licenciados locais lançaram a Incubadora, uma cooperativa artesanal que fornece uma ponte entre mulheres que trabalham na agricultura ou em reciclagem e turistas. Neste capital de bolso, cintilante com cores vivas, é o melhor endereço de compras da ilha. Para o norte, uma estrada plana permite vislumbrar a miragem de um lago cintilante em um deserto rochoso. A jornada termina na costa irregular da Buracona. Um restaurante panorâmico, fundido na paisagem, ergue-se contra a fúria das ondas que rebentam contra as rochas basálticas. Em um momento específico do dia, o reflexo do sol forma um olho azul, revelando uma caverna subaquática com águas cristalinas. Curiosidade natural final de um arquipélago que sua energia magnética torna tão cativante.

prática

Vai lá
- A TACV, companhia aérea nacional, opera voos Paris-Mindelo ou Paris-Sal, a partir de 373 €, depois de ligações entre as ilhas.
- Heliades oferece "Ilhas Barlavento: Sal / São Vicente / Santo Antão", um circuito de 8 dias / 7 noites entre as três ilhas. Desde 1 556 €, incluindo voos internacionais e domésticos, dormidas em hotéis standard e pequenos-almoços, três excursões com almoços, vistos. 0892 231 524

Onde dormir?
- em Mindelo. Oasis Atlântico Porto Grande : conforto, localização central e piscina. A partir de 76 €. 103 Praça Amilcar Cabral. Casa colonial: bonita casa colonial com pátio e terraço. a partir de 75 €. Rua 24 de Setembro.
- em Santo Antão. Aldeia Manga: ecolodge com excepcional localização nas alturas do vale do Paúl. A partir de 45 €. Ou booking.com
- em Porto Novo. Santantao Art Resort: conforto, piscina e beira mar, ideal para famílias. A partir de 70 €.

Para desfrutar
- em Santo Antão. O Lampara Giorgio: Cozinha divina ítalo-cabo-verdiana. Perto do porto.
- BabilÓnia: cozinha orgânica em uma bela propriedade no campo. Na saída da aldeia de Lagedos.

Texto e fotos: Guillaume Soularue

Assista ao vídeo: Salina, rotta na Capo Verde, Jornal de domigo TCV

Publicações Populares

Categoria Fuga, Próximo Artigo

Top 5 bons cantos para festejar
Fuga

Top 5 bons cantos para festejar

Localizada à beira-mar, na Côte d'Azur, Nice é provavelmente uma das cidades mais bonitas e atraentes da França. Além de seu patrimônio histórico e suas bonitas ruas comerciais, a cidade está repleta de bares e endereços mais confidenciais para festejar até o final da noite.
Leia Mais
Guias 111: para saber tudo sobre Londres, Roma e Nova York
Fuga

Guias 111: para saber tudo sobre Londres, Roma e Nova York

Você está planejando um fim de semana em Londres ou Roma? Você sonha com sites atípicos e pouco conhecidos? Você só tem a palavra shopping e quer encontrar as butiques mais badaladas de Nova York ou Londres? A coleção do Guias 111 é para você! Ao longo das páginas, descubra o lado oculto de suas capitais favoritas.
Leia Mais
Onde festejar em Paris esta noite? No Café de la Presse
Fuga

Onde festejar em Paris esta noite? No Café de la Presse

O Café de la Presse, no coração do décimo primeiro arrondissement de Paris, se estende por dois andares em gigantescas fábricas de impressão! O que acolher uma multidão de amantes da dança e da música brasileira. A abertura acontece ao mesmo tempo que o lançamento da Copa. E o programa promete ser variado em todo o mundo: exibições de documentários, shows, aulas de samba, competições de futebol de mesa e torneios de petanca.
Leia Mais